13.11.08

new look ,old look. Whatever, Look at me I am here!

Cabelos negros, franjas ligeiramente acima dos olhos , piercings, tatuagens e dedo no meio da mão esticado, demonstrando descontentamento e irreverência de causas sem nome. Outros com rastas ou gorros coloridos com "canhões" ao canto da boca, mãos com gestos de love and peace brother. Ambos os grupos são revoltados e alienados, e usam drogas para "maquilhar" as responsabilidades que chegaram sem aviso e os querem arrancar às mãezinhas, contas pagas, roupa lavada, passada e refeições às ordens.As causas na verdade não existem, são gestos vazios que visam atingir tudo e todos. A raiva adolescente contra o mundo, de rebeldes sem causa passa da antiga adolescência Teenager para Twentyager ou espante-se Thirtyager e alguns espécimes já nos "entas".

São os novos mas já antigos ícones marginais, que saltam dos antigos escaparates de onde ninguém mais ouvira falar, onde já descansavam em paz, há muitas décadas, já no fim do século passado. O johnny Cash, Jeff Buckley, Marlon Brando, James Dean, Marlyn Monroe e outras Pin-ups que adornavam os calendários que os homens de vidas comuns compravam. Uma reacção à "morangomania" e um grito de quem já não é criança, nem adolescente mas ainda não tem vida de adulto ou se reconhece na mesma.

As profissões aspiradas por estes roça a marginalidade de clubes nocturnos outrora considerados cabarets ou casas da má vida, em oposição à "morangomania" (que prefere antes ser actor, conhecido, modelo, figurante, intérprete de música pop). Estes gostam de chocar, de chamar a atenção, de causar repugnância, medo, perplexidade. Fazem tudo para chamar a atenção. "Olha para a minha figura, não vês que sou maluco! Olha para mim ama-me ou detesta-me! Mas olha , eu existo estou aqui!" São Djs , rockabillys, psychobillys , surfabillys, Rastafaris , go-go-dancers do burlesco mundo do couro e chicote. Animais nocturnos que durante o dia são capazes de ter um part-time para um rendimento fixo, mas mais do que 4 a 6 horas por dia de trabalho já é uma prisão da causa sem nome.

Stay cool
ou fuck the world.

3 comentários:

joão amaro correia disse...

belo ensaio.
(mas deves andar com umas belas vidas).

j

Marta disse...

Pode-se dizer que andei por aí a ver o "mundo".

Mas isto nada tem de belo, enfim talvez para alguns represente o início, centro e fim da suas vidas.

E é só a minha opinião, baseada na observação, não é nem pretende ser nenhum ensaio.

joão amaro correia disse...

cultural studies. antropologia de basfond, then.