9.2.05

Da penumbra para a luz

" A um tal ser de nada serve subir as escadas
com indizível cuidado. Todos estarão na sala de estar

e basta que a porta se abra

para que todos olhem.


(...) Fica na penumbra,

quer aguardar as perguntas.

E então vem o pior.
Tomam-lhe as mãos,
puxam-no para a mesa

e todos os que lá estão

se debruçam curiosamente
diante do candeeiro.

Têm a vantagem de se manter na penumbra
e apenas sobre ele recai,
com a luz,
toda a vergonha de ter um rosto(...)"

in "Anotações de Malte Laurids Brigge", Rainer Maria Rilke


Sem comentários: